RENAE 2019

Reunião sobre Necessidades Alimentares Especiais (RENAE) - 2019


A 1ª edição da Reunião sobre Necessidades Alimentares Especiais (1º RENAE)  foi realizada no dia 12 de abril, durante o VIII Congresso Internacional de Nutrição Especializada e Expo Sem Glúten (VIII COINE) no Rio de Janeiro. Abordando o tema Rotulagem de Alimentos no que diz respeito à presença de Glúten (contaminação cruzada, legislação e normas que atendam as demandas de segurança alimentar de celíacos, sensíveis ao glúten e alérgicos ao trigo), o RENAE foi um espaço para discussões técnicas sobre produção, controle, regulação e comercialização de alimentos sem glúten, que afetam a qualidade de vida das pessoas com necessidades alimentares específicas.


Esta reunião, idealizada em conjunto pela Dra. Noádia Lobão, Presidente do VIII COINE e do CBAN (Centro Brasileiro de Apoio Nutricional), e pela Dra. Ilana Felberg, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos, foi um grande diferencial desta 8ª edição do COINE. Pela primeira vez, os diferentes atores envolvidos na cadeia de produção, legislação e consumo de alimentos destinados a pessoas com restrições ao glúten estiveram juntos debatendo e apresentando seus diferentes pontos de vista, desafios e dificuldades, com o intuito de melhorar a qualidade de vida dos celíacos e/ou portadores de desordens relacionadas ao consumo de glúten e trigo.


A revisão das regulamentações e condutas no varejo se mostrou uma demanda prioritária. Inconsistências na rotulagem de alimentos em relação a alergênicos e presença ou ausência de glúten, disponibilidade e novas opções de métodos para detecção de glúten em alimentos, contaminação cruzada em pontos de venda e na manipulação de alimentos, posicionamento de produtos sem glúten nas gondolas do varejo, entre outros, foram assuntos abordados e que afetam diretamente a saúde destes consumidores.


Perfis variados de profissionais participaram do evento, representantes de empresas de alimentos, ACELBRAs, grupos de celíacos, universidades, instituições de pesquisa, pessoas que trabalham com mídia e comunicação, profissionais de nutrição e saúde, profissionais da área de alimentos, supermercados entre outros.


O evento foi aberto pela Dra. Noádia Lobão e pela Presidente da Acelbra-RJ, Suzane Boyadjian, convidando o Dr. André Dutra da Embrapa Agroindústria de Alimentos para dar início a apresentação dos palestrantes. O Dr. André Dutra trabalha na área de transferência de tecnologia da Embrapa Agroindústria de Alimentos e foi o moderador da mesa redonda do evento.


A primeira apresentação foi feita por Ester Candido Benatti, Secretaria Executiva da FENACELBRA (Federação Nacional das Associações de Celíacos do Brasil) representando a presidente da instituição. Ester apresentou de forma muito clara os desafios da vida do celíaco/alérgico em questões relacionadas à nutrição, rotulagem de produtos, contaminação cruzada no ponto de venda, e dificuldade de acesso às informações adequadas em relação aos alimentos e seus sistemas produtivos.


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) foi representada pelo Dr.Rodrigo Vargas, Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária e Assessor da Gerência de Padrões e Regulação de Alimentos da ANVISA. Ele apresentou o arcabouço legal relacionado ao tema, esclareceu a todos os presentes sobre o alcance de cada uma das Leis e Resoluções existentes hoje relacionados ao tema, bem como o processo para revisão regulatória de trabalhos da ANVISA para 2017/2020. 

A Dra. Edna Oliveira, pesquisadora da Embrapa Agroindústria de Alimentos, apresentou a técnica de “Detecção de glúten em alimentos por PCR – Tempo Real” e informou a necessidade de recursos externos para avançar com a validação do trabalho desenvolvido na Embrapa Agroindústria de Alimentos, de forma que esse possa se tornar um método oficial para quantificação de glúten em alimentos.


Para expressar a dificuldade do empresário que fornece alimentos sem glúten, o evento contou com a presença da Nutricionista Gabriela Marcelino, responsável técnica da Empresa Congelados da Sonia, que relatou todos os procedimentos implantados e desafios diários desta Empresa de mais de 30 anos de atuação no Rio de Janeiro para atender com segurança o consumidor celíaco, sensível ao glúten e alérgico ao trigo.


A participação da ASSERJ (Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro), através de sua consultora e nutricionista Bianca Costa, foi de extrema importância para ressaltar o papel desta instituição de conectar e comunicar.

 

Bianca colocou-se à disposição para levar o assunto debatido no RENAE ao Conselho de Alimentos Seguros da ASSERJ, propondo uma ação futura em parceria com os mercados associados varejistas e ACELBRA-RJ para capacitação dos colaboradores nos diferentes setores que trabalham no mercado varejista no que diz respeito à importância do trabalho realizado para evitar a contaminação cruzada nos estabelecimentos.


No período da tarde foi formada uma mesa redonda com todos os palestrantes para esclarecer dúvidas, apresentar sugestões e expor desafios e oportunidades, com a participação de todos os presentes que tiveram oportunidade de contribuir com questionamentos e sugestões.


Algumas ações foram levantadas e deverão ser acompanhadas pelos responsáveis com o compromisso de alcançar juntos os progressos necessários para melhorar a alimentação de Celíacos, Sensíveis ao Glúten e Alérgicos ao Trigo no Brasil. 

Dentre as principais ações sugeridas pelos presentes no evento, podemos destacar:


1. ANVISA:
a. Divulgar entre todos os setores da ANVISA a preocupação e recomendação para revisar as regulamentações técnicas para Alergênicos com atenção à doença celíaca;
b. Criar uma cartilha explicativa que inclua as recomendações técnicas sobre o controle de Alergênicos para ser distribuída para processadores de alimentos e estabelecimentos comerciais.
c. Disponibilizar um DISQUE CELIACO para a população, um canal de comunicação direto para que o celíaco possa tirar suas duvidas e relatar qualquer divergência encontrada em rótulos/produtos.


2. EMBRAPA AGROINDÚSTRIA DE ALIMENTOS: Buscar parcerias para financiamento da validação do método PCR em tempo real para detecção de glúten em alimentos. Colaborar na
articulação entre os atores da cadeia produtiva dos alimentos para elucidar informações sobre contaminação de ingredientes com glúten que sejam utilizados nos sistemas produtivos.


3. ASSERJ:
Será levada à Asserj, proposta de trabalho conjunto com a Acelbra-RJ para elaborar treinamentos para os colaboradores em mercado varejista, atuando como multiplicadores de informação para o maior controle de contaminação cruzada nos pontos de venda.


4. Sociedade/Fenacelbra/Acelbra
Elaborar um documento que apresente/sumarize os relatos das demandas (consultas, atendimentos, ocorrências, etc.) de seus representados nas diferentes vertentes que afetam a sua qualidade de  vida (não só alimentos, mas também a presença de glúten em materiais
como luvas, medicamento, cosméticos etc.), para encaminhamento à ANVISA na forma de relatório. Este documento pode ser elaborado por pessoa física ou Institucional. O importante é que as demandas levantadas e apresentadas no RENAE cheguem por escrito à ANVISA.


Organizadores do Evento:
CBAN: Dra Noadia Lobão
EMBRAPA AGROINDÚSTRIA DE ALIMENTOS: Dra Ilana Felberg e Dr André Dutra
ACELBRA-RJ: Suzane Boyadjian


Colaboradores:
Simone Rocha e Cristiane Baldi (ACELBRA-RJ); Mirian Francisca (Colaboradora do
CBAN); Ester Benatti e Lucélia Costa (FENACELBRA); Ana Galvão (COINE);
Kadijah Suleiman (EMPRAPA AGROINDÚSTRIA DE ALIMENTOS).